quarta-feira, 28 de agosto de 2013

09. Tu Fidelidad- Marcos Witt

domingo, 4 de agosto de 2013

Inverdades




Inverdades


Não é fácil encarar o amanhã com a coragem da determinação.

A incerteza fez-se presente.

Já ninguém tem certezas sobre nada, excepto sobre a morte.

A nobreza apregoa uma futurologia medíocre

Rudes quimeras de inverdades que nos constrangem até os sonhos

O que nos resta então?

Sobreviver de olhos postos no horizonte e avançar, de boca e

orelhas cerradas.



Florbela Ribeiro®

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Algumas palavras em defesa




Algumas palavras em defesa

Dor em todo o lado. Mortandade em todo o lado. Se bebés
não morrem de fome algures, morrem de fome
noutro lugar qualquer. Com moscas rondando-lhes as narinas.
Mas nós apreciamos as nossas vidas porque Deus assim o quer.
Se assim não fosse, as madrugadas de Verão não teriam sido
feitas de tal beleza. O tigre de Bengala não teria sido
concebido com tão miraculosa perfeição. As mulheres pobres
junto à fonte riem em comunhão no intervalo entre
o sofrimento por que passaram e o terror
que as espera no futuro, sorrindo e dando gargalhadas enquanto alguém
na aldeia está muito doente. O riso acontece
todos os dias nas horrendas ruas de Calcutá,
e as mulheres riem nas prisões de Bombaim.
Se negarmos a nossa felicidade, se resistirmos à nossa satisfação,
diminuímos a importância das suas privações.
Devemos arriscar a alegria. Podemos prescindir do prazer,
mas não da alegria. Não da satisfação. Temos de ter
a teimosia de aceitar o nosso contentamento no impiedoso
forno deste mundo. Fazer da injustiça a única
medida da nossa atenção é louvar o Demónio.
Se a locomotiva do Senhor nos abater,
devemos agradecer porque no nosso fim houve magnitude.
Admitamos que haverá música apesar de tudo.
Cá estamos, de novo na proa de um pequeno navio estreito,
olhando para a ilha que dorme: a beira-mar
são três cafés fechados e uma luz nua que ainda arde.
Ouvir o débil som de remos quebrando o silêncio enquanto um barquinho
sai do porto e depois regressa vale realmente a pena
todos os anos de dor que estão por vir.

Jack Gilbert

(Tradução inédita de Andreia C. Faria)