sábado, 24 de setembro de 2011

Be Thou an Example (efy 2009)

Quem semeia, colhe.





Quem semeia, colhe.


Quem planta árvores, colhe alimento.

Quem planta flores, colhe perfume.

Quem semeia trigo, colhe pão.

Quem planta amor, colhe amizade.

Quem semeia alegria, colhe felicidade.

Quem planta a vida, colhe milagres.

Quem semeia verdade, colhe a confiança

Quem semeia fé, colhe a certeza.

Quem semeia carinho, colhe gratidão.

No entanto, há quem prefira semear tristeza e colher amargura.

Plantar discórdia e colher solidão.

Semear vento e colher tempestade.

Plantar ira e colher inimizade.

Plantar injustiça e colher abandono.

Somos semeadores conscientes, espalhamos diariamente milhões de sementes ao nosso redor.

Que possamos escolher sempre as melhores, para que, ao recebermos a dádiva da colheita farta,
tenhamos apenas motivos para agradecer.


(Autor Desconhecido)

EFY 1999 FELICIA SORENSEN -PERFECT LOVE

I am His Daughter (EFY 2010)

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

ORAÇÃO DA CANANEIA


ORAÇÃO DA CANANEIA

Da porção do teu dia
dá-me
dá-me apenas”
Florbela Ribeiro, “Dá-me apenas”


Da porção do teu dia
Dá-me apenas do que tenho
em excesso de desejo

dá-me apenas do ardor
que arrefece nos corpos lentos
dos esposos
dá-me apenas uma simulação
de sol uma água ressequida
das inúmeras pedras

dá-me só das estrelas que
da noite caírem, estão perdidas
ninguém há que saiba
se por trás das montanhas
ou da linha dos mares
acharam casa
talvez a névoa e o resto
das auroras da tua voz

dá-me apenas
a migalha do teu pão
da porção do teu olhar
serão o dia
para mim

2/09/11
Rui Miguel Duarte



Blogue: "novas criações"
http://neaktisis.blogspot.com/

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

DESCRIÇÃO POÉTICA


DESCRIÇÃO POÉTICA


O silêncio caminha

descalço

pela mão do poeta

a solidão

abre

trincheiras

entre a folhagem

densa

onde a palavra

é voz.
Florbela Ribeiro

(IN)TOLERÂNCIA


(IN)TOLERÂNCIA



Há quem considere a tolerância como uma importante virtude, a caridade da inteligência, a paciência concentrada.
Para outros, tolerância é sinónimo de fraqueza, de dúvida e falta de fé.
Carlo Bini, escritor italiano, afirmou que “a sabedoria humana consiste em saber tolerar”, qualificando assim a tolerância como uma virtude admirável.
Mas Edmund Burke, escritor, orador e político irlandês, complicou, novamente, a sua definição ao dizer que “há um limite em que a tolerância deixa de ser virtude”.
Se unirmos os pensamentos de Bini e Burke concluímos que todo aquele que actua com tolerância, quer seja no campo social, cultural, religioso, etc., age sabiamente, desde que estabelecidos os devidos limites.
A tolerância é benéfica por que abre caminhos, destrói barreiras e cria pontes de diálogo. Mas o mundo prefere ser permissivo aos malefícios da intolerância. É ela quem impera nas sociedades!
E porquê?
Por que a tolerância requer muita determinação, humildade, predisposição, tempo e talento. Ser tolerante é ser, em primeiro lugar, um bom ouvinte, é ser paciente, ter maturidade psicológica, ter conhecimentos culturais, sociais, históricos e firmes convicções.
Será a tolerância um exercício praticável apenas por super-dotados!
Claro que não!
A tolerância é uma virtude universal, deveria ser praticada por todos em benefício de todos, que requer um cuidado e uma vigilância especial.
Ser tolerante não é fácil mas tornar-se-á fácil se seguirmos à risca os seguintes mandamentos: "Amarás, pois, ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, e de todas as tuas forças; este é o primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Não há outro mandamento maior do que estes." (Marcos 12:30-31).
Eles são a base de sustentação que nos permitirá exercer uma tolerância virtuosa!

Florbela Ribeiro