segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Um homem e a sua Vida



Um homem e a sua Vida



Um homem não tem tempo na sua vida
para ter tempo para tudo.
Não tem momentos que cheguem para ter
momentos para todos os propósitos. Eclesiastes
está enganado acerca disto.

Um homem precisa de amar e odiar no mesmo instante,
de rir e chorar com os mesmos olhos,
com as mesmas mãos atirar e juntar pedras,
de fazer amor durante a guerra e guerra durante o amor.
E de odiar e perdoar e lembrar e esquecer,
de planear e confundir, de comer e digerir
que história
leva anos e anos a fazer.

Um homem não tem tempo.
Quando perde procura, quando encontra
esquece, quando esquece ama, quando ama
começa a esquecer.

E a sua alma é erudita, a sua alma
é profissional.
Só o seu corpo permanece sempre
um amador. Tenta e falha,
fica confuso, não aprende nada,
embriagado e cego nos seus prazeres
e nas suas mágoas.

Morrerá como um figo morre no Outono,
Enrugado e cheio de si e doce,
as folhas secando no chão,
os ramos nus apontando para o lugar
onde há tempo para tudo.

Yehuda Amichai (1924-2000), poeta israelita.

Tradução de Shlomit Keren Stein e Nuno Guerreiro


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Não deixes



Não deixes

Não deixes o cansaço instalar-se
em vez disso
silenciosamente
como a um pássaro
estende a mão ao milagre.

Hilde Domin

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A esperança


"A esperança é uma ave que pousa na alma,

canta melodias sem palavras e nunca cessa."

Emily Dickinson

Não estás só


Não estás só



Não estás só. Aqui está o teu mar

que te perguntará com seu terno murmúrio

pelos sonhos do teu caminho, pelos teus desejos.



Hannah Szenes



Traduzido do Espanhol por: Florbela Ribeiro

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Aos irmãos




Aos irmãos


Se nós faltarmos

aceitai o jugo,

grande, pesado,

em cima de vós.

Construí sobre a areia

sob o azul

céu... tudo

de novo.



E saibam que o preço do caminho

da justiça e do valor

não é baixo.




Morrer...



Morrer... jovem... morrer... Não, não queria.



Amava o sol cálido,

a luz, a poesia, um piscar de olhos,

e não queria destruição, guerra.

Não. Não queria.



Mas se hoje fosse obrigada a viver

num banho de sangue, na terrível destruição

diria: 'Bendito seja o Senhor pelo direito

a viver, que venha a hora da morte

sobre a tua terra, meu país, minha pátria.



Hannah Szenes



Traduzido do Espanhol por: Florbela Ribeiro
.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Minha mãe




Minha mãe


Onde aprendeste a apagar as lágrimas?
A suportar a dor em segredo?
A ocultar no coração a queixa
o sofrimento, o pranto, o tormento…
Ouve o vento
Agudo
brama na garganta, nas montanhas
Observa o mar…
impetuoso golpeia a dureza das rochas

Toda a natureza se agita, treme.
De onde vem o silêncio do teu coração?
Onde encontraste essa força?

Hannah Szenes

Traduzido do Espanhol por: Florbela Ribeiro

terça-feira, 2 de agosto de 2011

O Tapete (The Rug)

Eli, Eli


Eli, Eli


Meu Deus, meu Deus, que não acabem nunca

a areia e o mar,

o murmurar das águas,

os relâmpagos dos céus,

as orações dos homens.

Hannah Szenes

(1921-1944)



אלי, אלי, שלא יגמר לעולם

החול והים

רישרוש של המים

ברק השמים

תפילת האדם