quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Aponta o olhar no tempo

























Aponta o olhar no tempo


Adormece o sentir do sentimento

Aponta o olhar no tempo

Recua na memória

No sonho alado

E espera o milagre

Acontecer.



Florbela Ribeiro®

sábado, 6 de novembro de 2010

Julgamento






















Julgamento


Não julgues...

Habitas num recanto mínimo desta terra.

Os teus olhos chegam

Até onde alcançam muito pouco...

Ao pouco que ouves

Acrescentas a tua própria voz.

Mantém o bem e o mal, o branco e o negro,

Cuidadosamente separados.

Em vão traças uma linha

Para estabelecer um limite.



Se houver uma melodia escondida no teu interior,

Desperta-a quando percorreres o caminho.

Na canção não há argumento,

Nem o apelo do trabalho...

A quem lhe agradar responderá,

A quem lhe agradar não ficará impassível.

Que importa que uns homens sejam bons

E outros não o sejam?

São viajantes do mesmo caminho.

Não julgues,

Ah, o tempo voa

E toda a discussão é inútil.



Olha, as flores florescem à beira do bosque,

Trazendo uma mensagem do céu,

Porque é um amigo da terra;

Com as chuvas de Julho

A erva inunda a terra de verde,

e enche a sua taça até à borda.

Esquecendo a identidade,

Enche o teu coração de simples alegria.

Viajante,

Disperso ao longo do caminho,

O tesouro amontoa-se à medida que caminhas



Rabindranath Tagore

Do Olhar
























Do Olhar (outro)



O meu coração, pássaro do deserto, revoa no céu dos

teus olhos. Teus olhos são o berço da manhã, o reino

das estrelas e a profundeza onde as minhas canções

se perdem.



Deixa que eu mergulhe neste céu imenso e solitário.

Deixa que eu penetre as tuas nuvens e abra minhas asas

em teu sol.



Rabindranath Tagore

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

You Are My Hiding Place

selah--wonderful merciful savior

Maravilhoso canto



























Maravilhoso canto



És Tu o maravilhoso canto,

no qual se revigora o impulso,

música em cujo interior

as formas são construídas.



És Tu o segredo do pensamento,

graças a Ti tudo existe e se move.

O verdadeiro esplendor é estar contigo,

como no ânfora as varas quando se apertam.



És o braço culminante do cipreste.

As tuas sobrancelhas estão juntas

num só arco.



És Deus do meio-dia e Senhor dos astros nocturnos.



Gregório de Narek

Yehuda Amichai

























Estatísticas

Por cada homem enfurecido há sempre

dois ou três que o acalmam com palmadinhas nas costas,

por cada chorão, muitos mais limpadores de lágrimas,

por cada homem feliz, uma profusão de infelizes

a querer aquecer-se no calor da sua alegria.



E todas as noites pelo menos um homem

não consegue encontrar o caminho de casa

ou a sua casa mudou-se para outro lugar

e ele vagueia pelas ruas,

supérfluo.



Uma vez estava com o meu filho pequeno na estação

e um autocarro vazio passou por nós. O meu filho disse:

“Olha, um autocarro cheio de gente vazia.”



Yehuda Amichai




O lugar em que temos razão


Do lugar em que temos razão

jamais crescerãoflores na primavera.

O lugar em que temos razão

está pisoteado e duro

como um pátio.



Mas dúvidas e amor

esescavam o mundo

como uma toupeira, como a lavradura.

E um sussurro será ouvido no lugar

onde houve uma casa

que foi destruída.



Yehuda Amichai

Tradução: Nancy Rozenchan





PEQUENA BIOGRAFIA


Yehuda Amichai nasceu em Wurzburg, na Alemanha, em 1924. Em 1936, emigrou com a sua família para a Palestina e mais tarde, naturalizou-se como cidadão israelita. Participou na II Guerra Mundial, como soldado das brigadas semitas do exército britânico e lutou na guerra israelo-árabe de 1948. Depois da guerra estudou literatura hebraica e textos bíblicos. Foi professor do ensino secundário. Amichai publicou o seu primeiro livro de poesia, Achshav Uve-Yamim HaAharim (“Now and in Other Days”), em 1955. Escreveu onze volumes de poesia em hebraico, duas novelas e um livro de contos. A forma inovadora como utiliza a língua hebraica, influenciou a linguagem moderna em Israel. A sua obra foi traduzida para mais de trinta línguas. Morreu em Jerusalém no dia 27 de Setembro de 2000


Fonte: http://poeticia.blogspot.com